Energia solar: bairro do interior de SP será 1º autossustentável da América Latina

Comunidade de São José do Rio Preto será primeira no continente a ser autossustentável em energia solar.

19 de abril de 2022 - 2 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

A comunidade da favela Marte, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, será o primeiro bairro da América Latina a se tornar 100% autossustentável em energia solar. A favela irá implantar painéis solares em todas as casas por meio de uma iniciativa do projeto–piloto Favela 3D, da ONG Gerando Falcões.

A organização tem como meta replicar o programa para mais de 300 favelas em todo o Brasil. A expectativa é que as obras comecem ainda neste ano e estejam concluídas até o final de 2023. 

Energia solar contra a informalidade

De acordo com a Gerando Falcões, a energia solar deve acabar com os acidentes que vêm de ligações clandestinas de energia elétrica. Além disso, devem gerar uma economia de 95% no custo mensal com eletricidade de cada uma das 240 famílias da Favela Marte. Colocando em números mais diretos: trata-se de uma economia de até R$ 6 mil por ano em gastos com luz elétrica.

Efeito dominó da sustentabilidade

O efeito “dominó” da sustentabilidade é a razão por trás do ODS 11 da Organização das Nações Unidas (ONU). Há um entendimento que ao tornar uma área mais sustentável, os outros setores da sociedade acompanham.

Para que as placas de captação da energia solar sejam instaladas será necessário reconstruir as casas para os moradores da comunidade. O Governo do Estado de São Paulo, a prefeitura de São José do Rio Preto e a Gerando Falcões vão investir R$ 58 milhões no projeto para isso. 

Sustentabilidade, energia solar e empregos

A implantação dos painéis solares, bem como a construção das casas, tem mais um efeito positivo para a comunidade: geração de renda. Segundo a Gerando Falcões, o projeto pretende gerar até 350 empregos para as pessoas que vivem na Favela Marte. A ONG ainda vai promover um curso de lideranças comunitárias para fazer com que as 240 famílias participem do processo como um todo.

Energia solar também na periferia da capital

Na capital paulista, o Instituto da Paz, localizado no bairro Jardim Nakamura, periferia da zona sul, já conta com um sistema fotovoltaico capaz de transformar luz solar em energia elétrica. A idealizadora da iniciativa foi Graziela Dantas Gonzaga, que promoveu a instalação dos painéis paralelamente a cursos de capacitação, para que os moradores da região pudessem fazer parte do processo. “Pensamos em criar empregabilidade porque o mercado de energia solar tem crescido e ainda tem poucos profissionais atuando nele. Capacitar essas pessoas, fazerem elas participarem desta instalação, também é uma forma de levar o projeto a frente, não só o sistema, mas também o conceito, trazer empregabilidade e mostrar que é possível instalar energia solar nestes locais”, disse a engenheira ambiental ao Canal Solar.