Smart City Laguna: estado nordestino tem a primeira cidade inteligente projetada

O projeto Smart City Laguna une planejamento e infraestrutura para moradores da cidade de São Gonçalo do Amarante.

20 de maio de 2022 - 2 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

A primeira smart city – cidade inteligente e inclusiva do mundo – está sendo erguida no Brasil. Mais especificamente na cidade de São Gonçalo do Amarante, no Ceará. Trata-se da Smart City Laguna – um projeto da empresa ítalo-britânica Planet Smart City, que une infraestrutura e planejamento para o espaço inteligente.

Cidade para todos é princípio da Smart City

O projeto tem uma área total de 330 hectares, composta por cerca de 7 mil lotes, entre residenciais, comerciais e empresariais. Com isso, o espaço é projetado para receber cerca de 20 mil pessoas. O empreendimento oferece lotes para todas as faixas de renda, com unidades de diferentes tipos, que vão desde construções que atendam ao programa federal de habitação Casa Verde e Amarela, até casas de luxo. 

Assim como a diversidade de construções, a cidade também oferece espaços de uso coletivo, como cozinha compartilhada, horta comunitária e academias ao ar livre. 

Soluções digitais também é diferencial da Smart City

À primeira vista, a cidade parece apenas um bairro planejado, mas é a infraestrutura digital que a torna diferenciada e permite conceituá-la como uma smart city. Além de ter um hub de inovação de 960 metros quadrados e iluminação pública inteligente, os moradores conseguem entender o que está acontecendo na vizinhança a partir de um aplicativo do bairro: o Planet App. Em um painel de controle é possível monitorar a casa, controlar o consumo de água, de energia, consultar a qualidade do ar, acompanhar notícias da cidade e o andamento de obras na região. Serviços como o uso da biblioteca e até mesmo caronas compartilhadas também estão abertos para quem usa o app. 

Sustentabilidade de ponta a ponta

As vias são planejadas para reduzir o trânsito de carros e favorecer o fluxo entre os bairros. Tanto que as ruas residenciais são todas sem saída, obrigando motoristas a transitar em velocidade reduzida. No mais, também incentiva o uso de veículos alternativos ao carro, como bicicletas. A cidade conta, ainda, com áreas de serviços, comércio e com um centro de inovação. A iluminação urbana é feita com lâmpadas de LED, a pavimentação tem piso drenante com blocos fotovoltaicos, ciclofaixas e rede elétrica subterrânea.