cidade sustentavel

4 exemplos de economia circular nas cidades

Casos ao redor do globo mostram que é possível colocar a economia circular em prática.

23 de março de 2022 - 3 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

A busca por diminuir os resíduos e focar na recuperação da natureza já é meta das principais empresas no mundo. A chamada economia circular também chegou para dar um novo caminho para a sustentabilidade nos espaços urbanos. Separamos quatro exemplos de economia circular espalhadas em cidades pelo mundo. E, fique de olho, um deles é em solo brasileiro.

1. Austin, um dos exemplos de economia circular com recicláveis

Com ambição de se tornar uma cidade “zero waste” (desperdício zero, em inglês) até 2040, Austin, nos Estados Unidos, criou o Austin Materials Marketplace. A página é uma plataforma de troca de materiais recicláveis. O foco é atrair usuários de todos os pontos da cidade que possam trocar resíduos, como restos de plástico, metal ou vidro, entre si. O projeto, que existe há menos de 3 anos, faz a contabilização de peso do material reutilizado e ainda mostra o quanto o lugar que optou por reciclá-los economizou em dinheiro. Até hoje, mais de 530 pessoas participaram da troca na plataforma, reaproveitando cerca de 400 toneladas de material que iriam para o ferro velho e evitando a emissão de 950 milhões de toneladas de emissão de gás carbono (CO2 – um dos Gases do Efeito Estufa).

2. Glasgow, foco na capacitação

A iniciativa Circular Glasgow focou em ajudar a tornar os negócios mais “circulares” na cidade escocesa. A câmara de comércio da capital da Escócia criou o projeto que serve como uma consultoria para pequenas e médias empresas adotarem práticas de economia circular. No começo, eles focaram em três setores: saúde, educação e manufatura (que representam 27% da economia da cidade). O projeto iniciou em 2016 e, já em 2018, conseguiu criar maneiras para que um dos principais festivais da cidade, o Glasgow Coffe Festival, se tornasse zero waste. Até o momento, mais de 650 negócios já se engajaram, o que mostra que a iniciativa pública não precisa fazer todo o trabalho para trazer sustentabilidade para o espaço urbano. 

3. Cidade do Cabo, exemplo do meio industrial

Da África do Sul vem o exemplo de economia circular do meio industrial. O programa Western Cape Industrial Symbiosis Programme (WISP), na Cidade do Cabo, conecta indústrias e pequenas empresas para a reutilização de materiais. Uma rede de pesca desfiada, por exemplo, pode virar uma rede de futebol em uma escola. O WISP é de graça para os negócios da região e existe desde 2011. Em dez anos, o programa já conseguiu evitar que quase 15 mil toneladas de materiais fossem jogadas no lixo, enquanto criava cerca de 220 trabalhos em pequenas empresas. Por criar oportunidade para esses pequenos negócios, o programa já levantou cerca de US$ 10 milhões em receita adicional para a cidade. 

4. Caraurari, economia circular como base

Rio Juruá

O exemplo brasileiro vem do Amazonas. O município de Caruari, à margem do rio Juruá, concentra uma comunidade forte, que já tem a economia circular como base do que faz. As principais atividades econômicas da cidade – pesca do pirarucu, extração de látex, coleta de açaí e produção de óleos vegetais – já estão na dinâmica da economia circular local. As cascas de semente são usadas para produzir óleos, por exemplo, enquanto as vísceras dos peixes e a farinha de mandioca viram ração para a população de tartarugas, por meio do programa de conservação ecológica do Juruá. E, o mais importante de tudo: com as práticas, a população se empoderou, tornando-se mais consciente do ambiente a sua volta. A ação é liderada por associações comunitárias como a Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC), a Associação dos Moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Uacari (AMARU) e a Cooperativa Mista de Desenvolvimento Sustentável e economia Solidária da Reserva Extrativista do Médio Juruá.