As cidades saudáveis podem ser o melhor remédio para seus moradores, muito mais do que a prática de exercícios e a adoção de dietas. “Nos lugares ao redor do mundo onde as pessoas vivem mais, elas realmente não buscam a saúde. Eles vivem mais tempo, porque estão no ambiente certo”. A afirmação é de Dan Buettner, fundador da Blue Zones e jornalista da National Geographic. 

Blue Zones é uma definição para os locais do mundo onde as pessoas vivem mais (acima de 100 anos), e Dan Buettner passou os últimos 15 anos mapeando isso para chegar à definição de que as cinco Blue Zones mundiais são: Okinawa, no Japão; Sardenha, na Itália; Nicoya, na Costa Rica; Icária, na Grécia; e Loma Linda, na Califórnia.

Blue zones têm características semelhantes

Buettner contou com dois outros especialistas – Gianni Pes e Michel Poulain – para identificar pontos em comum no comportamento e na rotina das pessoas que vivem nas chamadas Zonas Azuis. Apesar das diferenças, as cinco regiões citadas acima têm pelo menos nove comportamentos em comum adotados pela população, entre eles o fato de as pessoas se movimentarem naturalmente durante atividades do dia a dia sem a ajuda de máquinas e tecnologias. Outro comportamento similar é a respeito do propósito de vida, ou seja, são pessoas que têm um motivo bem definido para levantar todas as manhãs.

A lista de pontos comuns inclui ainda a diminuição do ritmo e alívio do estresse por meio de hábitos diários . Os moradores de Icária, na Grécia, por exemplo, tiram uma soneca todos os dias. Outra coisa similar é a alimentação sem excessos, seguindo a regra dos 80%: param de comer quando atingem o ponto em que não estão cheios, mas já estão satisfeitos e sem fome, comendo as menores refeições ao final do dia. A alimentação 95% baseada em frutas, vegetais, cereais, legumes, oleaginosas e sementes, com pouco consumo de carnes, é outra característica parecida, assim como a ingestão regular de vinho (uma a duas taças por dia, exceto no caso dos Adventistas de Loma Linda). Para fechar: todos possuem algum tipo de religião, colocam os familiares em primeiro lugar e pertencem a grupos sociais com hábitos saudáveis.

Os resultados dizem por si só porque as Blue Zones têm esse nome. Na Sardenha, os moradores de Nùoro têm a maior concentração de homens centenários no mundo; Icária, a ilha grega já comentada, possui uma das taxas mais baixas de mortalidade na meia idade e ainda o menor percentual de demência.

A península de Nicoya, na Costa Rica, também tem uma das menores taxas de mortalidade na meia idade e a segunda maior concentração de homens centenários no mundo. Já Loma Linda, no sul da Califórnia, habitada por Adventistas do Sétimo Dia, concentra pessoas que vivem 10 anos a mais que a média dos americanos. E, em Okinawa, no Japão, estão as mulheres mais longevas do planeta.