A cidade de Denver, no estado norte-americano do Colorado, exalta o fato de ser uma das poucas cidades no país a cultivar um fundo climático dedicado e aprovado nas urnas pela grande maioria dos eleitores no ano passado. Trata-se de um fundo de US$ 40 milhões anuais, motivo pelo qual a liderança da cidade aproveitou para lançar um plano de enfrentamento à crise climática para os próximos cinco anos durante os dias de realização da COP26, em Glasgow, na Escócia.

O plano de Denver está sob a administração da secretaria de Ação Climática, Sustentabilidade e Resiliência, e visa fornecer apoio a seis áreas pré-determinadas, segundo reportagem do site Smart Cities World. As área são: adaptação e resiliência; justiça ambiental; edifícios e residências de alto desempenho; criação de empregos e desenvolvimento da força de trabalho; energia renovável; e transporte sustentável.

Fundo climático é anunciado junto com a COP26

“Enquanto o mundo volta atenção para a colaboração global que está acontecendo em Glasgow, tenho orgulho de dizer que Denver é líder nos Estados Unidos quando se trata de soluções tangíveis e inovadoras para as mudanças climáticas que fornecem benefícios diretos aos residentes”, disse o prefeito Michael Hancock, conforme a reportagem citada acima.

Para a diretora climática de Denver, Grace Rink, as ações da sua cidade demonstram o tamanho da importância do combate às mudanças no clima, uma vez que “as projeções das Nações Unidas confirmam que as cidades representarão 68% da população mundial até 2050, e se tornarão centros de inovação quando se trata de cumprir as metas do Acordo Climático de Paris”, disse.

Grace ainda defendeu a criação de um ambiente mais saudável e inclusivo em Denver. Segundo ela, isso é essencial para evitar piores impactos da mudança climática.

Os líderes da cidade do Colorado ainda detalharam que, entre os principais objetivos do seu fundo climático, está a transparência financeira na utilização do recurso, o que permitirá rastrear corretamente as receitas e as despesas, além de garantir que ao menos 50% dos recursos sejam usados para financiar ações em comunidades mais vulneráveis.