transporte do futuro

Jetsons? Que nada! O transporte do futuro se parece com Westworld

Carros autônomos e elétricos de série da HBO, além de casas conectadas, ajudam a moldar a forma que vemos o futuro.

5 de agosto de 2022 - 2 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

A ficção científica ajuda a moldar a nossa visão do futuro. Ao mostrar um design possível, a ficção serve como inspiração para a criação tecnológica. Os exemplos são muitos. A Alexa da Amazon foi criada para ser o computador central da Starship Entreprise de Star Trek. A série também foi base para a Motorola desenhar e inventar o celular. Até mesmo a ideia de um carro autônomo, hoje visto como transporte do futuro, veio do escritor Isaac Asimov. Termos como metaverso também vieram direto de páginas de livros de ficção para o dia a dia. O que significa: se você quer ver o futuro das cidades? Olhe para os filmes e séries.

Divulgação – HBO

Durante muito tempo, a nossa visão dos anos 2000 seria a dos veículos e prédios voadores dos Jetsons. A visão fez com que várias empresas perseguissem criar os veículos que flutuam – algumas inclusive conseguiram fazer entregas com drones. Alguns falam da cidade do futuro como a de Blade Runner, de Riddley Scott, sombria e com os benefícios do digital voltados apenas para a elite.

Na opinião dos doutores em design e artes computacionais na Concordia University, Burcu Olgen e Fatima Mehrzad, a cidade do futuro será como Westworld. “Cidades futuristas são representadas como densamente povoadas, com arranha-céus elevando-se acima de ruas movimentadas e estreitas”, escrevem os especialistas em artigo da Fast Company.

Casas conectadas e transporte do futuro

A série Westworld, da HBO, mostra casas administradas por uma inteligência artificial, que muda o ambiente dependendo das demandas dos moradores, é um sistema de segurança e até dá conselhos. Não muito diferente do que a Amazon está tentando criar com a Alexa e os sistemas Ring de segurança.

Já o transporte da cidade é feito de veículos elétricos autônomos para os cidadãos comuns e drones de luxo para os mais ricos. O espaço da série ainda conta com lentes inteligentes e espelhos que dispensam que as pessoas precisem experimentar fisicamente as roupas. Todas essas tecnologias, como apontam bem os autores do artigo, já existem.  

Divulgação – HBO

“Imagine sair de casa em um drone voador que o leva até a via principal para pegar um ônibus voador. Você veria as notícias em sua lente de contato inteligente”, contam os autores, a partir da visão da série. Todo o transporte é gerenciado por uma inteligência artificial sofisticada que controla o tráfego, viabilizando que ônibus e carros trafeguem em alta velocidade.

A paisagem urbana, olhando essa série como filtro para o futuro, também ganharia novas camadas. Além de incluir passagens em altitudes diferentes, teria parques e áreas verdes verticais. Criando “bolsões privados de vegetação dentro das estruturas de arranhas-céus”. Consegue imaginar esse futuro? É só olhar na tela da televisão… do celular, ou, quem sabe, da sua lente de contato digital.