A segunda maior cidade dos Estados Unidos está construindo o seu futuro a partir de várias ações e foi apontada como um exemplo mundial, ao lado de outras como Nairobi e Dubai. Segundo a revista Wired, LA – como é conhecida entre os norte-americanos – vem literalmente iluminando sua passagem para os próximos anos com reforma de 4.500 milhas de postes de vapor de sódio, que conferem uma iluminação amarelo-alaranjada, por uma matriz de diodos emissores de luz em tons de luar. Além de tornar a cidade mais clara, o novo sistema também deixará Los Angeles mais conectada.

A explicação é tecnológica, uma vez que cada lâmpada de baixo consumo de energia será conectada sem fio ao Bureau of Street Lighting, órgão da administração municipal, permitindo que a sede saiba se está ligada, desligada, quebrada, etc. Os recursos devem ficar ainda mais arrojados no futuro, com ações como o acionamento de um modo “piscar” sempre que um carro de polícia ou ambulância estiver a caminho. 

Outra possibilidade é iluminar mais intensamente as ruas para facilitar o deslocamento de pedestres após um jogo de bola. “Enquanto outras cidades ao redor do mundo usam LEDs para economizar dinheiro e adicionar pontos de cor e ênfase, LA planeja construir uma rede que mostra o que está acontecendo bem na sua frente. E isso diz algo sobre a cidade inteira”, destaca a reportagem da Wired.

Cidade do futuro do aeroporto ao paisagismo

Outro exemplo que mostra a pegada futurística de Los Angeles é a atualização do aeroporto internacional, por meio de um investimento que supera os US$ 8 bilhões. O escopo da reforma inclui desde áreas de concessão até passarelas móveis. Somente a companhia aérea Delta alocou US$ 229 milhões para reformar o seu Terminal (5). A reforma inclui o Delta One, uma espécie de aeroporto dentro do aeroporto que atende celebridades e ricos. É um presságio de um futuro onde os aeroportos estarão mais bem organizados e não tão desumanizantes, segundo a avaliação da revista.

Um terceiro exemplo vem do paisagismo, onde o destaque é a adoção da flora nativa e resistente da Califórnia em substituição às plantas importadas e à grama, muito usada, mas que exige irrigação constante. As palmeiras da Hollywood Boulevard, uma das ruas famosas da cidade, podem ser icônicas, de acordo com a Wired, mas não são da região. O novo visual com plantas nativas foi nomeado de California Dry. Na lista dos novos paisagistas estão a construção de estruturas com plantas suculentas, como o agave rabo de raposa. Para os especialistas, as plantas nativas robustas adicionam suavidade e cor à paisagem amarronzada de rochas e dispensam recursos adicionais de adaptação climática.