A cidade de Manchester, no Reino Unido, tinha a meta de entregar 7 mil casas a preços acessíveis entre 2015 e 2025, o que responderia por 20% dos empreendimentos imobiliários locais. Parte dessa meta será de casas também com baixa emissão de carbono. Serão 69 delas, com características que incluem telhados verdes, bombas de calor de fonte subterrânea e carregamento para carros elétricos. A iniciativa é parcialmente financiada pelo Brownfield Land Fund, do governo do Reino Unido, que ajudará a entregar 522 novas casas em terrenos abandonados em toda a cidade nos próximos cinco anos.

De acordo com publicação do site Smart Cities World, o projeto vai trazer de volta ao uso um terreno subutilizado e construir 36 apartamentos de um quarto; 12 apartamentos de dois quartos; 17 casas de dois andares e três quartos; e quatro casas de três andares e quatro quartos. Do total, 16 dos apartamentos estarão disponíveis para maiores de 55 anos. Um estacionamento será incluído como parte do empreendimento, juntamente com pontos de recarga de veículos elétricos e calçadas privadas para as casas.

Manchester quer emitir zero carbono até 2028

As casas terão ainda amplos jardins e painéis solares, enquanto os apartamentos contarão com telhados verdes vivos como parte do compromisso de baixo carbono do projeto. Nos apartamentos, outro destaque são as varandas e paredes vivas, cuja ideia é proporcionar uma estética verde ao empreendimento, juntamente com espaços externos compartilhados e verdes. Essas e outras características devem ajudar Manchester a atingir a meta de ser uma cidade com emissão zero de carbono até 2028.

Outra inovação sustentável é o uso de bombas de calor de fonte subterrânea e ventilação mecânica com recuperação de calor, de forma a manter os custos de serviços públicos baixos para os residentes. “Este projeto preenche muitos requisitos – trazendo de volta ao uso um terreno subutilizado, novas habitações sociais acessíveis, casas para idosos, e uma variedade de tamanhos para atender a diferentes níveis de demanda”, disse o vereador Gavin White, membro executivo para habitação e emprego da Câmara Municipal de Manchester.