Ruas pintadas tornam tráfego mais seguro

Arte nos asfaltos é forma de deixar o trânsito mais calmo e as cidades mais bonitas.

7 de junho de 2022 - 2 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

Há algumas décadas, as ruas pintadas eram moda para comemorar o começo da Copa do Mundo. Agora a prática da arte nas ruas volta com força, mas com um propósito diferente: levar mais segurança para pedestres e  motoristas. 

De acordo com a Bloomberg Philantropies, os murais nos asfaltos diminuem em 50% a incidência de acidentes de carro envolvendo pedestres e ciclistas, em 37% o número de acidentes que levam a lesões e em 20% o número total de acidentes. Os dados vêm a partir da análise de centenas de arte na rua do projeto Asphalt Art, do Bloomberg Philantropies, nos Estados Unidos. 

Bloomberg / Divulgação

Uma cidade colorida

A arte em muros contribui para deixar a cidade mais segura, com o aumento de circulação nas calçadas e de movimento no comércio. Já o asfalto colorido afeta diretamente a maneira como as pessoas dirigem os automóveis. Os desenhos e padrões artísticos no chão fazem com que os motoristas dirijam mais devagar, prestando mais atenção nas calçadas. E, principalmente, em quem anda nas calçadas. 

Bloomberg / Divulgação

“Pinturas e outras medidas temporárias custam uma fração do que se gastaria com cimento e mão de obra, e ainda por cima entregam retorno real sobre o investimento”, disse Sadik-Khan, que agora é diretora de transportes na Bloomberg Associates, em entrevista à Fast Company.

Bloomberg / Divulgação

Tranquilidade com ruas pintadas

A pesquisa mostra que o projeto não aumenta o tempo de trânsito, muito menos deixa os trajetos mais lentos. Além disso, os murais nos chãos incentivam a caminhada e beneficiam os negócios no entorno.

Bloomberg / Divulgação

Outra mudança de comportamento vista pelo Instituto Bloomberg foi que os pedestres ficam mais “calmos”. Sim, o Instituto viu uma redução de 25% nos conflitos entre pedestres e motoristas. Além disso, diminui em 38% a travessia dos pedestres fora da faixa (e com o semáforo aberto). 

No lado dos carros, houve aumento de 27% na frequência de motoristas cedendo o direito de passagem aos pedestres.