seattle

Depois da cidade do rock and roll, Seattle busca agora ser cidade baseada em dados

Projeto de cidade baseada em dados permitiu que Seattle melhorasse o problema dos sem tetos e outros desafios urbanos

18 de outubro de 2021 - 2 minutos de leitura

Autor: Redação

Compartilhe:

Seattle, na costa Oeste dos Estados Unidos, não é só a origem de movimentos de rock alternativo. Agora, ela também é conhecida pela pegada tecnológica. E é esse perfil high tech que está consolidando o seu projeto de ser uma cidade baseada em dados. O movimento começou em 2017, com uma agenda municipal e estratégica de tecnologia da informação, e evoluiu para ações que já incluem um cenário de pandemia, concentrados no Plano de Resgate de Seattle, com aporte de US$ 120 milhões para concessões de negócios e concessões de auxílio a famílias. São ações que fortalecem o engajamento em cidadania, como mostrou o site Smart Cities World.

O pensamento de cidade baseada em dados pode ser exemplificado pela adoção de tecnologias de modernização de infraestrutura, com destaque para microrredes, recursos de energia distribuída e resposta à demanda. E a alta tecnologia não deixa de fora as pessoas com menor renda. Pelo contrário. 

Seattle enfrentou crise imobiliária com uso de dados

Em 2015, a cidade decretou estado de emergência em relação aos sem-teto, mas como não tinha informações, buscou dados para começar a planejar a solução do problema. Ao mesmo tempo, ela enfrentava a crise imobiliária, centrada na falta de moradias e no alto custo dos aluguéis. Segundo a What Work Cities (WWC), uma iniciativa da Bloomberg Philanthropies, a cidade “vem trabalhando há anos para desenvolver planos abrangentes e sustentáveis ​​para lidar com os problemas de moradia e falta de moradia”. 

A WWC ajudou nesse processo, incluindo a criação e adoção de uma política formal de dados abertos para garantir a clareza e a sustentabilidade da gestão. Ou seja, publicando dados municipais abertos. Outra iniciativa envolveu o desenvolvimento de um sistema de gestão de desempenho, voltado à agenda e acessibilidade de habitação.

A WWC avalia que a cidade construiu uma base crítica com uso de dados e evidências para fornecer resultados aprimorados para seus moradores. “Seattle já está aplicando esse trabalho, desenvolvendo sistematicamente processos de gestão de desempenho em cada departamento da cidade e expandindo as lições da contratação baseada em resultados para outros contratos e departamentos”, explica a reportagem publicada no site da WWC. “Ao trazer soluções mais eficientes e orientadas a dados para o governo de Seattle, a cidade pode oferecer melhores serviços e resultados para seus residentes”, salienta o material.